jusbrasil.com.br
24 de Agosto de 2019

A aberração jurídica: Look do dia

Gabriela Pereira, Tabelião e Registrador
Publicado por Gabriela Pereira
há 7 meses

Engraçado como look do dia é algo que gera milhões de likes e eu adoro o look do dia, mas considero uma aberração jurídica a quantidade de jovens Advogados que estão se endividando, fazendo cartões em lojas de departamentos, iniciando uma vida profissional acreditando que a IMAGEM vale mais que o CONTEÚDO.

Como assim? É impressionante a quantidade de recém formados que consideram cursos caros, livros caros, seminários caros, mas gastam o pouco que ganham com roupas, bolsas, sapatos, celulares de última geração e etc. Me pergunto diariamente se a "venda" dessa imagem que teoricamente geraria uma associação ao sucesso se mantem por muito tempo.

Não estou dizendo que a imagem não é importante, óbvio que é! Eu estou dizendo que look do dia não deve ser prioridade para ninguém. Na minha opinião, uma pessoa que considera pagar R$ 300,00 em um livro ou um curso como uma aquisição cara, mas considera pagar R$ 300,00 em um sapato porque enxerga que isso sim é investimento, no mínimo deveria ser enquadrado como "relativamente incapaz".

O fato é que, estamos vivendo em uma sociedade jurídica que inverte os valores de forma absurda. Em 2018, o Brasil possuía mais de 4 milhões de jovens endividados e eu arriscaria dizer que boa parte desses jovens devem ser da área jurídica.

Deixa explicar uma coisa: você pode estar usando a melhor roupa, calçando o melhor sapato, utilizando o melhor celular, mas se você for um profissional ignorante (sem conhecimento) todo mundo irá perceber, porque isso será perceptível quando você abrir a boca e sua vida profissional não pode ser reduzida a viver de uma aparência fajuta, vazia e sem grandes perspectivas. Infelizmente, esse é o tipo de "profissional" que depois vai sair por aí dizendo que não vale a pena cursar Direito.

Autoria: Gabriela Pereira (@seujuridicoimobiliario)

15 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Adorei o artigo. Eu me preocupo em ter um vestuário com alguma qualidade e que seja durável, mas os investimentos em aperfeiçoamento acadêmico e advocatício são prioridade. continuar lendo

Está certíssimo! continuar lendo

Infelizmente, a sociedade e mesmo dentro do âmbito jurídico somos cobrados o tempo todo pelo jeito que se veste, acredito que a parte mais importante é o intelectual, porque em uma audiência temos que ter o pleno conhecimento do que estamos falando ou debatendo.Mas, a sociedade julga um (a) advogado (a) pela aparência, o ser humano é julgado constantemente pela aparência, o tempo todo.Isso é uma realidade, muito mais transparente na nossa profissão. continuar lendo

Sou Advogado e há 10 anos também trabalho com moda, juntamente com minha esposa. Temos uma Loja de roupas destinadas ao público feminino. Verdade que o consumismo é algo muito forte em nossa sociedade, principalmente em tempos de redes sociais. Adoro quando uma cliente já sai da Loja com a roupa que comprou, mas tem muitos casos de clientes que compra por comprar e nunca usam.

Não temos muitas clientes advogadas consumistas, embora atenda perfeitamente esse público. Penso que isso se deve, talvez, a dificuldade de ganhar dinheiro em nossa profissão, todavia, pela minha leitura, essa história de "look do dia" funciona vezes para ocultar a falta de conteúdo jurídico, e outras para satisfazer quem talvez tenha escolhido o caminho errado. continuar lendo

Relativamente incapaz kkkkkkkk
Muito bom! continuar lendo